7 erros de segurança da informação que precisam ser corrigidos

segurança em cloud computing

Muitas vezes, alguns erros de segurança da informação tornam os sistemas corporativos mais vulneráveis. A boa notícia é que é possível corrigir a maioria deles em tempo. Agora. Neste post, você vai ver quais são as principais falhas cometidas nas empresas, tanto da parte de TI quanto dos colaboradores e como estes problemas podem ser solucionados com simples mudanças de hábitos. Acompanhe!

7 erros de segurança da informação que precisam ser corrigidos

1 – Falha na gestão

Quando a gestão da segurança da informação, que é diferente da gestão de TI, é falha, pode faltar conscientização das ameaças, não percepção por parte da alta hierarquia da empresa de que os dados corporativos têm muito valor e a saúde do negócio pode entrar em colapso caso eles sejam violados ou roubados e até a configuração errada dos ambientes, que ficam mais vulneráveis aos ataques.  
Este erro é fácil de ser corrigido, basta que o gestor de TI forme um time especializado em segurança da informação para levantar todos os riscos, rastrear as vulnerabilidades e criar estratégias de prevenção. Além disso, a criação de parcerias com fornecedores de ferramentas e serviços voltados para a segurança da informação também são soluções muito eficazes.

2 – Falta de investimento

Como um erro leva a outro, não ter uma equipe dedicada a segurança da informação pode levar ao não investimento em ferramentas e serviços para este fim. Geralmente, por não saber das ameaças, os diretores da empresa não vêem a segurança da informação como um investimento, o que pode levar a sérias dores de cabeça no futuro.
Imagine que a empresa não tem um serviço de monitoramento ou um antivírus forte. Custará muito mais caro corrigir e reparar danos ou recuperar arquivos quando algum dos sistemas for atacado e, dependendo do caso, os danos à imagem da marca podem ser irreversíveis — pense em um ataque em que os hackers roubam dados de transações financeiras dos clientes, por exemplo.

3 – Subestimar a evolução das ameaças

Outro grande erro é subestimar a evolução das ameaças. É preciso que a equipe de TI esteja sempre alerta e atualizada com o que vem ocorrendo em torno da segurança da informação, pois os hackers não param de criar táticas e malwares (softwares mal intencionados) cada vez mais poderosos.
Neste sentido, qualquer descuido, seja por falta de investimento ou por mal comportamento dos usuários, pode colocar toda a estratégia de TI.  

4 – Falha na conscientização dos colaboradores

Outro ponto muito importante, que não pode ser vilipendiado, é a conscientização dos usuários. Eles, muitas vezes, são a porta de entrada para as ameaças. Desde baixar arquivos desconhecidos ou não homologados até clicar em e-mails que contenham vírus, é preciso sensibilizar os colaboradores da empresa para estas ameaças.
E isso se consegue com uma comunicação clara, com palestras da equipe de TI e com regras também claras – assunto para o tópico a seguir.

5 – Falta de políticas e processos bem definidos

Não ter uma política de segurança da informação pode ser um erro fatal. Quando não se tem uma política, as regras não ficam claras e não há processos a serem seguidos. Também fica difícil cobrar dos usuários para que se comprometam com a segurança da informação.
Muitas empresas até criam estas regras, mas elas ficam restritas ao pessoal de TI, que prefere apenas bloquear tudo que considera uma ameaça, fazendo com que os usuários se sintam até ultrajados com isso. É importante que a política seja clara e disseminada para todas as esferas hierárquicas, para que sejam compreendidas e acatadas por todos. Se os usuários não sabem qual é a política, que processos devem seguir, também não saberão quais são os erros de segurança da informação que eventualmente possam cometer.

6 – Não centralização de arquivos

Não classificar e ordenar os arquivos corporativos também é uma falha que pode levar a sérios erros de segurança da informação. Se a empresa não sabe quais são seus arquivos confidenciais, sigilosos e sensíveis, pode não atuar para protegê-los, criando políticas de acesso, por exemplo.
É preciso, portanto uma força tarefa para classificar e segmentar os arquivos, avaliá-los e criar regras claras de quem pode acessá-los e alterá-los, criando senhas de acesso para os sigilosos e sensíveis e rastreando toda a movimentação em torno deles.

7 – Não ter uma boa estratégia de backup

Outro erro de segurança da informação que pode deixar a empresa vulnerável é não ter uma boa estratégia de backup. Sem isso, quando um arquivo é perdido ou danificado, fica difícil recuperá-lo em tempo hábil. A cloud computing pode ajudar, como você verá a seguir.

Como a computação na nuvem pode ajudar a diminuir erros de segurança da informação

Uma excelente forma de tornar sistemas e arquivos considerados sigilosos e sensíveis seguros é alocando-os numa nuvem, ou seja, num servidor fora do ambiente de TI interno. Com isso, diminui consideravelmente as chances de perdas destes dados, pois eles são administrados por especialistas num ambiente altamente protegido e com gerenciamento impecável, incluindo backup instantâneo.
Talvez você também goste deste artigo: 6 motivos para usar cloud computing na sua empresa.  

Você gostou de conhecer estes erros e as dicas para evitá-los? Assine nossa newsletter para receber os posts em primeira mão. Se você tiver dúvidas sobre este assunto, faça contato conosco e veja como podemos ajudá-lo!